CAROLINA_BEATRIZ_ÂNGELO.jpgCarolina Beatriz Ângelo


Carolina Beatriz Ângelo nasceu na Guarda em 1877, onde, frequentou os estudos primários e secundários.
Na cidade de Lisboa frequentou a Escola Médico-Cirúrgica, tendo concluído com bastante êxito o curso de medicina. Tornou-se a primeira médica cirurgiã portuguesa a operar no hospital de São José, onde conheceu Januário Barreto e se casa no próprio ano da formatura. Em 1902, desse matrimónio resulta uma filha, mas aos 21 anos fica viúva.
Carolina Beatriz Ângelo revelou-se uma das figuras mais carismáticas do feminismo e do republicanismo da primeira década do século XX. Em, 1911, Carolina Beatriz ao ler a lei prevista na Constituição de 1911 verificou que esta ao decretar quem tinha direito ao voto, não especificou o sexo e a perspicácia desta médica, levou-a a lutar pelo seu direito ao voto já que era uma cidadã portuguesa. Esta lei, ao definir quem seriam os cidadãos que poderiam votar, não distinguiu o sexo, dizendo apenas que quem poderia eleger o governo seriam os cidadãos portugueses. Carolina Beatriz apresentou um recurso em tribunal a fim de poder votar.
A 28 de Maio de 1911 torna-se a primeira mulher portuguesa a exercer o direito de voto e a legislação é imediatamente alterada, especificando que apenas os cidadãos portugueses masculinos poderiam votar.
As mulheres portuguesas tiveram de esperar por Salazar para poderem , no ano de 1931, Salazar determinava que, as mulheres, para votarem tinham de ter cursos secundários ou superiores, enquanto que aos homens bastava apenas saber ler e escrever.
Em suma, Carolina Beatriz Ângelo abriu uma “janela”ao ter sido a primeira mulher a votar em Portugal, após a Primeira República e mostrou que a mulher também pode e deve participar em todas as decisões importantes da sociedade que integra.
Carolina Beatriz Ângelo quis e desejou que a mulher pudesse ser avaliada pela inteligência, razão e não somente como fada do lar, isto é, dona de casa e mãe. Carolina Beatriz Ângelo idealista do movimento feminista fez parte de uma Associação de Propaganda Feminista que defendia a igualdade de oportunidades da mulher na política, e na vida social tal como os homens.




Bibliografia:


Imagem disponível em URL: http://1.bp.blogspot.com/_BVDB7M5gge0/ScD44iC4BPI/AAAAAAAAAcw/PQnZfrvloHY/s1600-h/CAROLINA+BEATRIZ+%C3%82NGELO.bmp, acedida a 13 de Novembro de 2010
http://sexoforte.net/mulher/index.php?option=com_content&view=article&id=136:carolina-beatriz-angelo-ser-cidadao-de-corpo-inteiro&catid=79:grandes-mulheres&Itemid=113,acedido a 10 de Novembro de 2010
http://capeiaarraiana.wordpress.com/2010/01/24/carolina-beatriz-angelo-%E2%80%93-medica-e-sufragista/, acedido a 10 de Novembro de 2010
http://www.centenariorepublica.pt/conteudo/exposi%C3%A7%C3%A3o-carolina-beatriz-%C3%A2ngelo, acedido a 10 de Novembro de 2010
http://tribunaldefamiliaemenoresdobarreiro.blogspot.com/2009/03/carolina-beatriz-angelo-autor.html, acedido a 10 de Novembro de 2010