Em 1254, o rei D. Afonso III decidiu convocar para a Igreja de São Pedro na cidade de Leiria as Cortes, convidando para tal os representantes do clero e da nobreza e do povo a fim de tratar das coisas do “estado” do reino e também, para corrigir e emendar o que os representantes das várias classes sociais em consenso com o rei achassem necessário e conveniente.

Foram assim tomadas algumas medidas como: conceder o foral a Beja e também a confirmação do segundo foral à Guarda; resolução de alguns problemas que se vieram a agravar na Sé do Porto; diplomas para os concelhos de Guimarães, Lisboa e Bouro e por fim, evitar algumas consequências esperadas pela quebra da moeda.

A partir desta data a corte passou a ter uma nova constituição, resultando assim um “pacto político” entre o rei e os seus vassalos. As cortes de Leiria de 1254 ficaram conhecidas como a primeira tentativa de equilibrar os poderes trazendo assim ao de cima a voz dos concelhos.